"Fragments of the Human Soul it´s a symbolic manifestation of the inner treasures of the human being. Is dedicated to every authentic seeker of the total potential of humans. May this sharing be a portal to your own inner self".

From my soul to yours, Ricardo Amaral

"Here in this place leave all the masks of your personality behind...and with every breath you take what remains will surface as the One reality that unites us all".

Blessings to you, Silver Eyes

sábado, 21 de novembro de 2009

Twin Flames II


In a sea of a million different faces
I wonder where´s the matching flame...
Between constellations, planets and realities
your face was forgotten
but your Signature Presence is well alive inside me.

In the longest night of the Universe I await you
and in a longest whisper
I call for you and await, await, await...

Do you remember when my voice,
combined with yours created symphonies upon symphonies
just for the simple enjoyment of the moment.
At times when our journeys did not required separation
and your sweet voice was the healing melody
to the side effects traumas left in my heart.

I have venture through strange realities and lost memory
but even in this ocean of illusive separation
there´s a place where the Presence of you flame
is still burning...
Yes my dear, in my heart we are One
and will always be.

I look into the sea of a million faces once more
and I finally understand there´s nothing to search for,
because your light will forever be
the only star in that black empty sky.


Ricardo Amaral

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

O Despertar do Fiél Ouvinte



Uma brisa subtil foi de encontro ao meu rosto
num claro anúncio de mudança no ar... foi algo bom de se sentir!

Até mesmo o mais fiél dos ouvintes de uma emissora,
chega ao dia em que decide mudar de frequência
e explorar as diversas possibilidades que o radio lhe oferece.

Talvez por aborrecimento ou curiosidade,
ou talvez porque já não suporta mais o estado depressivo
que a frequência ouvida lhe provoque.
Mas independentemente dos motivos,
o dia de mudança chega para toda a pessoa e ser...

Não direi que o fiél ouvinte representa toda a humanidade,
mas certamente caracteriza uma grande percentagem da mesma.
Uma parte do todo que sente nos seus corações
que está na altura de seguir uma nova direcção
que melhor reflicta os seus mais puros e belos desejos.

Existe uma expressão que indica
o quanto se pode descobrir e encontrar num momento de silêncio
e esta brisa mística no seu suave silêncio
não poderia estar mais carregada de conteúdo.

Um conteúdo indecifrável para a lógica da mente,
mas ao alcance de uma capacidade mágica do ser humano...
há quem lhe chame de intuição, premonição, antena etérea, presença quântica,
mas eu gosto de lhe chamar - Inteligência do Coração.


Ricardo Amaral

sábado, 7 de novembro de 2009

Letter to the Unseen Ones



I was still a child and your presence were already there
and in the innocence of a child I would have not made it
if you were not there.

Perhaps back then I was too young
to recognize your friendly arm
but today I look back and see you were always there.

I´ve entered this world in fear of such madness,
maybe in the innocence of a pure heart I still remembered
the kindness of my most beloved world left behind.

One could ask - Why did you came?
and I would answer - How could I not?!...
When there´s consciouness that we are all fragments from the same Source
and one should at least have an opportunity
to choose his path in freedom...

My dear invisible friends
every step I give into turning my heart towards Home
your presence become more visible.
Sometimes I fall down and hurt people I love
but I do my best to never repeat it again...

Were it not for your daily help, I would never be able to make it.
So, today I express the recognition you always deserved
although I´m aware you don´t search recognition of any kind,
accept these words as a form of gratitude
because these are not empty words.
They arise from my most sacred chamber - the heart of all my hearts.

My dear invisible friends
may we soon travel side by side
and return once more to our beloved world.


Ricardo Amaral

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

O Mistério das Estrelas


As estrelas iluminam o meu percurso
como uma lembrança de onde provenho
e para onde me encaminho.

Uma estrela cadente surge repentinamente
num convite que diz - acompanha-me
pelo desconhecido de um novo mundo.
Os pensamentos se acalmam
perante os mistérios da luz longíqua,
onde o que observo não é mais
que um passado no local de origem.

Elas preenchem o céu como se decidissem relembrar
a estrela que outrora brilhou ao seu lado...
O mistério das suas luzes me convida a imaginar
aquilo que não me foi ensinado nem explicado.

Talvez como na era dos descobrimentos
em que olhavam para a imensidão do mar
e se interrogavam se para lá do horizonte existiria
outros povos, outras ilhas, outros mundos...

Neste local onde por vezes
a luz parece ter sido esquecida,
me acalmo ao ver o céu de pontos cintilantes
e me deixo estar na companhia
daquilo que ainda se encontra por explorar.



Ricardo Amaral

domingo, 25 de outubro de 2009

A Forja do Genuíno


Uma ligação genuína foi criada...
A razão porque reconheço a sua natureza
se encontra na atenção sincera e consciente
que nada necessita em troca.
Existe uma agradável liberdade nesta forma de sentir.

Nomes não são necessários
quando somente a Presença do ser
no templo interior é transportada.
Mesmo numa distância
que terá o tempo que for de destino
eu sinto a beleza e força curadora do que é desejar bem.

Quando algo puro assim ocorre
talvez a forja provenha de tempos ancestrais
e mesmo por detrás das formas ilusórias
a sua chama permanece activa.

Neste momento de clareza
em que consigo ver para além das histórias dramáticas,
máscaras e necessidades criadas pelo pensamento egóico,
me apercebo que esta é na verdade e em essência
a primeira relação genuína criada.

Sentimentos de tal magnitude vibram e ganham presença
até mesmo no reino etéreo do Espirito
ou talvez a sua origem de Lá provenha
e aquilo que agora vivo e sinto seja apenas uma versão,
um eco, uma probabilidade desejada...


Ricardo Amaral

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

A Visão de Limpeza



Estava a caminhar algures entre o lugar físico do momento e o invisivél do meu mundo interior, quando "acordei" ao ver uma criança fazer bolinhas de sabão com um daqueles brinquedos que pensei não mais serem utilizados nos dias de hoje.
Naquele breve instante, onde a minha infância voltára à superficie com a dança no ar das bolhas de sabão, me apercebi de algo mais importante do que reviver a inocência do estado de criança.
Através do filtro de Homem que me tornára, a minha percepção da dança me transportou para o modo como as relações humanas ocorrem...

Por vezes flutuamos pelo tempo e espaço de forma solitária, imersos na nossa própria bolha de realidade com os nossos sonhos, desejos, receios, ilusões...
Outras vezes, nos fundimos com outras almas e tal como as bolas de sabão que quando se unem criam novas formas, também nós criamos um novo mundo quando partilhamos a beleza dos sonhos interiores com outras almas.

Como tudo está em constante mudança nada permanece igual para sempre e tal como a união das bolhas que a determinada altura termina numa pequena explosão, também nós pessoas partilhamos um pouco dos nossos mundos e depois partimos para destinos diferentes, onde apenas a fragrância aromática das co-criações se prolongam pelo espaço.
E neste processo tocamos outras almas, crescemos, criamos, vivemos histórias, evoluimos enquanto seres espirituias e acabamos por chegar á conclusão que o importante não é o destino mas sim a jornada.

Não deixa de ser um pouco curioso que quando vivemos algo bom desejamos que nunca acabe e quando é algo doloroso pedimos ao Universo para que termine o mais rápido possivél.
A razão porque acho isto curioso, se deve ao facto de que apenas existe Experiência, que ganha definições e adjectivos conforme a perspectiva individual, mas sei que no momento presente do dia-a-dia nem sempre é fácil ver as coisas com clareza.

Há bem pouco tempo atrás, tomei a decisão de concluir a experiência deste blog, mas ao ver a alegria daquela criança no criar bolinhas de sabão, me apercebi que não há motivos para terminar nada, porque nunca devemos abandonar o que nos faz bem pois só assim podemos continuar a dança da vida em alegria.


Ricardo Amaral

domingo, 6 de setembro de 2009

Final Writing


Home is a feeling...the recognition of the Infinite Beings that we are.

Sometimes this feeling is activated by another soul, or perhaps in the process of creating a scuplture, maybe sounds like a melody transport you to this state, but in the end Home is always a feeling.

I can still recall the moment I felt, for the first time, the completion of a particular stage of my journey, and it seemed like I´ve lost 200 pounds...it was a nice thing to be felt! :)

After several years of living on the Blue Planet, my admiration for this Sentient Being has grow to a point beyond words.
The love and compassion She express is truly something beautiful to be seen and felt.

At such peculiar times where the survival of Humanity it´s a "question mark", or so they believe, I would wish to say that it was a pleasure to walk on the surface of this Blue Planet.
Human experience is a challenge but in the sharing moments with other souls, the reward is found.

In this final writing my most deepest appreciation goes to a specific soul whom my heart is an open temple to her presence, whenever she decides to recall the true nature of my Spirit.
She was the activation to the process of this sharing information...
So, thank you Nathalie!



By Ricardo Amaral

terça-feira, 25 de agosto de 2009

The Other Side of the Mirror


I´ve looked upon the fantom mirror and there it was
the strange face matching my own eyes in silver glowing spheres.
It is not some foreign entity
but rather the part of me exploring outside my earthly perception.

Over there, where human shape is a distant memory
almost too difficult to remember,
the silver glowing eyes carry the weight of mindblowing journeys
with light expansion only glimpsed in the wildest dreams.

Dunes of savage lands
where the desert survival become victories
is still there expressed
and the ascension portal a much deserved home ticket.

I now realise this string of words
can not make justice to the experience
as is the case with the description of any magical event,
so I will stop,
but not before suggesting to the reader that
WITH WORDS BE CAREFUL...



by: Ricardo Amaral


segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Twin Flames


There´s a part of me that will always be at your side.

When you go to sleep
I´m there to give you the invisible sweet kiss
Or when you fall down due to some sad event
I´m there with the stretched arm
giving you energy to step up and keep on the journey.

Occasionally you may think you´ve heard a magical voice in you heart
it´s the sound of my most pure dreams
echoing to the world - let´s do this together
in love, freedom and wisdom.

Whenever you are distant
know I´m only a thought away...

Let´s grow together, explore together
let´s create together, love together
and in our individualities remember
that we are two divine flames
from the same holy fragment.

by: Ricardo Amaral

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Silver Eyes e a Linha Mágica


Num ponto específico da sua viagem, Silver Eyes descobriu a existência de um tipo de linha invisivél de propriedades mágicas.
Este tipo de linha se forma entre dois seres quando existe uma ligação muito profunda, onde as barreiras do tempo e espaço se desvanecem momentâneamente para que ocorra uma transferência de energia entre os dois.
Conforme a capacidade e grau de intuição da pessoa, alguma desta energia pode ser descodificada de forma a se tornar compreensivél - a fusão entre duas particulas divinas.

Durante o seu desenvolvimento pessoal, Silver Eyes ouvira muitas vezes falar da ligação entre todas as formas de vida, mas foi neste ponto que compreendeu através da sua experiência o verdadeiro sentido de tais palavras.
Mais importante ainda foi a realização do tipo de energia que permite a criação das linhas mágicas (a energia que os humanos chamam de amor incondicional).

Entre milhares de rostos distintos apenas um se destinava a lhe revelar esta magia. Por detrás do rosto, se encontrava a beleza de uma alma que espelhava a grandeza daquele fragmento humano que se recusa a morrer, mesmo perante a maior das atrocidades.

Silver Eyes parou por um instante em silêncio, como que num sinal de agradecimento pela oferta que o Universo lhe proporcionou e num gesto de reconhecimento, tatuou o rosto da linda alma no lugar mais precioso do seu coração.
Uma tatuagem imaginária que ainda assim seria a mais importante de todas a que possuia no seu corpo.


By: Ricardo Amaral



segunda-feira, 27 de julho de 2009

Enigmas


Há algo de estranho no padrão de acontecimentos recentes, pois em parte se assemelham a uma espécie de déjà vu mas com personagens diferentes.
Não posso dizer nem saber se o desfecho será algo positivo ou não, mas estaria a mentir se dissesse que não estou preocupado...há uma sensação interior que de tempos em tempos emerge como se fosse um fantasma de algo longínquo e que persiste em aparecer, quando tudo aparentemente se encaminha para o desejado.

Num vaguear da mente me questiono se será algo de origem kármica, algum aspecto demasiado distante no tempo para o alcance da minha memória e daí a falta de compreensão dos porquês... mas que ainda assim acontecerá independentemente da minha vontade.
Tenho vindo a observar o desenrolar das histórias como alguém que possui, ao mesmo tempo, um pé no palco e outro na plateia. Alguém que assistiu demasiadas vezes o mesmo espetáculo e que deseja assistir a algo completamente novo.

Em inúmeras ocasiões me questionei se seria o criador das ondas da minha própria história, mas desta vez a corrente do rio é demasiado forte para se remar contra.
Desta vez vou-me deixar levar pelo ondular da corrente e quer o destino me leve a uma cascata de precipício fatal ou a uma margem de praia paradisíaca, desta vez a minha escolha será de fluir com a corrente.
É difícil de responder se realmente tenho alguma escolha, mas sinto-me melhor por pensar que sou eu que a faço...
Ao chegar a este ponto da escrita, me apercebo que este será provávelmente um daqueles textos que não fará sentido a ninguém, com a excepção para quem o está a escrever.
Porém a razão da existência destas palavras se deve a motivos pessoais, uma conversa comigo mesmo...com a ilusão de que a plateia se encontra vazia.


by: Ricardo Amaral

quinta-feira, 23 de julho de 2009

O Sentir dos Lugares


No primeiro momento em que se aprende a usar a imaginação também se inicia a descoberta e exploração de novos lugares.
Ainda que para muitas pessoas a realidade de alguns destes locais poderá ser posta em causa por não se enquadrar no que lhes foi ensinado, a meu ver numa derradeira análise tudo o que realmente existe é EXPERIÊNCIA e aquilo que se aprende com ela, independentemente da solidez ou não solidez de algo e se é perceptível para apenas uma ou mais pessoas.

À medida que percorro vários territórios, cada um com sua própria identidade, sou capaz de ouvir seus sons que retratam histórias humanas num rio de tempo que se estende de tal forma no espaço, que obviamente apenas um pouco de suas histórias se revela.
Porém há algo sobre a natureza da relação entre nós humanos e os lugares que sempre me intrigou.
Diversas experiências são vividas e com o correspondente moldar do nosso interior, como resultado o nosso sentir dos locais também se modifica. É incrível como o mesmo território nos pode fazer sentir em casa e num outro instante nos rejeitar como se fossemos expulsos ou não pertencessemos á sua natureza.
Em tempos pensei que esta relação era com os espaços, mas tal como uma criança que se torna Homem e ganha uma nova visão da vida, de igual modo a minha perspectiva se modificou e hoje sei que o sentir dos espaços se deve muito mais ás pessoas com quem se cria uma ligação e não tanto ás qualidades fisicas do local que se habita.

Não deixa de ser irónico que no momento presente me sinta "em casa" no mesmo local onde outrora me senti um estranho.
O motivo?
Bem, este fica como meu segredo mas apenas acrescento que a certa altura o Universo me falou baixinho ao ouvido e disse - "Eu nunca abandono nenhuma das minhas criações e para cada Sol existe uma Lua companheira".


By: Ricardo Amaral

quinta-feira, 2 de julho de 2009

A Personal Feeling



Waves become wings
when the silence ring
to the treasures of inner chambers.

Fond affections born from clear intention
in a single wish become complete.

Waves and wings be real again
not me in a lonely day
but rather us in a butterfly song.

Dreams of waves become flesh,
transform a holocaust in paradise.

My magical wings lets ride the wave
and recall the world we still know how to shine.
A siren in the desert of space
pointing a direction to the found lost.

Lets not end this journey in tears
because smile and happiness is our nature.
Magical waves I want to merge with you
and evolve forever in your mystical dance.



this poem is an offer to my mysterious Spirit

by: Ricardo Amaral

Refúgio



De vez enquando ocorre um daqueles momentos em que ficamos estáticos,
pois parece que o tempo deixa de existir.
Neste lugar de refúgio,
onde o silêncio humano reina e as complicações da sociedade são esquecidas,
momentos de magia ocorrem quando se pára e se relembra o propósito da jornada.
Naquela noite a lua tirou um breve instante apenas para mim,
um circulo perfeito, de algo misterioso, se formou ao seu redor
como se um portal subitamente se formásse para estabelecer a ligação entre nós os dois.
Em inúmeras ocasiões de contemplação,
podemos pensar que somos um mero átomo na vastidão do Universo
e em tais ocasiões pensamentos de abandono ou insignificância podem vir á superficie.
Mas naquele mágico momento foi exactamente o oposto,
pois pareceu que o universo inteiro se focára em mim
como que por curiosidade ou reconhecimento do meu valor enquanto parte do Seu Corpo.
Por fim, a experiência terminou e eu fui-me deitar ao som da música encantada dos cagarros
e com um sorriso no rosto
igual ao das crianças quando recebem a prenda porque tanto ansiavam.


By: Ricardo Amaral

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Campos Mórficos




Se imaginar-mos um nevoeiro ou energia que se prolonga infinitamente pelo continuo do espaço-tempo á medida que evolui, talvez essa mesma energia se transforme várias vezes como se fosse uma dança de metamorfoses.

Se fosse possivel, de algum modo, neutralizar as leis da física para uma viagem ao meu passado, talvez ao me reencontrar a sensação fosse pouco diferente da de encontrar um estranho. E se essa viagem fosse feita em direcção ao futuro será que me reconheceria?

Talvez o meu campo mórfico possua demasiadas formas em que homem, mulher, animal e o irreconhecível sejam energias que se moldam de acordo com as experiências pretendidas.

E embora a ilusão de tempo e espaço me impossibilite de as sentir como se fosse eu mesmo, a verdade é que todas elas influênciam a minha experiência presente, porque ainda que este processo ocorra em grande parte de modo inconsciente, a verdade é que numa derradeira perspectiva tudo está interligado e apenas existe um ser com a ilusória experiência de haver vários...



By: Ricardo Amaral

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Mais do que Corpos



Por entre inúmeras palavras que demonstram as maravilhas que habitam o ser humano,
onde páginas são preenchidas num abrir e fechar de olhos
como se corpos não fossem necessários para as conter,
existe algo de intrigante em nós que sente a necessidade de um contacto físico.
De uma troca de olhares, de um sorriso de beleza, de um toque suave entre mãos que escorrega quase por impulso de pureza.
Talvez esta necessidade revele um pouco do que é ser humano ou ainda, em certos casos, de que ainda se é humano.
Existe uma magia num momento olhos nos olhos, que tal como um Portal,
nos transporta para algo inefável onde o silêncio é apenas uma ilusão de vazio,
pois nestes momentos a mente se cala para dar lugar á linguagem do coração.
Perante tudo isto ocorre-me a imagem de um sorriso irónico ou talvez um sorriso de sabedoria da própria Vida, como que a demonstrar que há espaço para tudo
porque mesmo quando anos luz são percorridos por campos surreais,
ainda é possivel manter a essência de ser humano.
E há sempre a pessoa certa para nos ajudar a relembrar...




Ricardo Amaral

domingo, 24 de maio de 2009

Transformers of the Red River



I watch the Red River in inner stillness not due to indifference but rather understanding that the projection can´t be change from outside... if humans are the projectors than the inside is the place you search for in order to transform what´s perceived.
I listen the silent scream of spirits unable to express their true potential in this place where to many tears of blood have been drowned.
Those are not my tears, I´m simply the observer of the insanity reflected in the Red River.
Countless spirits have been here too long that the sunshine´s visions and the feeling of green grass touching the skin, were just lost...
Surrounded by this scenario it comes across my mind the memory of that moment before the madness begins.


- They came with such great intentions and seeing theme selfs in clear beauty and glory, never doubted about their journeys and capacities.
Once bound in human skin and not being able to remember their magnificie lineage, they fall like tree leaves in the autumn season.
The few remaining are real the ones with strong blueprints and missions.
The showers of wonderlands and no one´s land.
They are wingmakers and peacemakers floating in harmony with the waves of cosmic energy.


by: Ricardo Amaral


terça-feira, 12 de maio de 2009

Multidimensionalidade do Ser




Muitas pessoas possuem a crença de que o corpo humano contém no seu interior um espirito e durante muito tempo esta foi também a minha perspectiva.
Hoje em dia, sei que o meu Espirito contém muitos corpos que se espalham pelo continuo do espaço-tempo.
O que se segue é a descrição da experiência que modificou, de modo irreversivel, a minha perspectiva.
De um sonho profundo acordei devido a algo anómalo,
o meu corpo não se mexia apesar do meu esforço no sentido contrário.
Uma estranha energia me bombardeava,
num pulsar que se concentrava na zona da glândula pineal.
Era uma energia muito forte que rápidamente se tornara insuportável
e num misto de receio e fascínio pelo desconhecido
finalmente me deixei levar... fosse para o bem ou para o mal.
Para minha surpresa o momento seguinte foi, provavelmente, das coisas mais bizarras ou surreais que me sucederam porque literalmente sai do meu corpo
como se se deslocasse um duplicado de diferente vibração molécular...
O que de início acreditei ser o meu espirito,
posteriormente se tornaria claro que não era mais do que outro corpo que compõe a totalidade do meu Ser,
e por fim compreendi a multidimensionalidade da minha existência.


Ricardo Amaral

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Blue Bird





I had long forgotten the different tastes of seasons when a magic bird landed on my shoulder.
I call him Blue Bird.
His magic energy have wake me up from a state of amnesia and I re-membered in a ocean of broken statues previous situations where he landed on my hand.
I enjoyed so much his presence and energy that I put him in a cage, so he could not escape from me... it was a mistake.
Mysterious beings like Blue Bird exists in states of freedom and in cages of disharmony they quickly die.
After the glimpses of errors I made the following statement - "welcome back my friend, I want you to know it´s a pleasure to have your company once more. Feel free to stay as long as you desire and if you ever decide to leave, well I will miss you but this time you will find no walls nor prisions".
Blue Bird looked deep into my eyes and spoke in my heart these profound words - "when Love is around all fear disappears but when you are afraid all love disappears. I can not exist in fear, therefore my presence or lack of it will depend only on your ability to remain in harmony".


by: Ricardo Amaral

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Silver Eyes Diary (chapter V)





Chapter V - The Last Page

Journeys are never over, so obviously many other events have occurred after the first encounter.
Never the less from this point on human words become meaningless. The description of such exotic events would be an empty exercise since people have no elements of comparison that their minds could grasp and therefore the description of my journey concludes here.
But before I finish this last page, I would like to share with the reader the origin and meaning of my name.
Silver Eyes refers to a being that evolved in the most central galaxies of the Universe. It means the one with noble vision that shines in the dark. Also represents the neutral point that than choose creation instead of destruction. (end chapter V)


Conclusion

Silver Eyes Diarie is a fictional story based on real events, designed to illustrate the "Seasons of the Spirit".
Since below the surface the things that unite us are just so much stronger than those that separate us, this story is intended to be one more WAKE UP call to our connection, one of many that every single one of us will eventually come across.
End of transmission.

By: Ricardo Amaral

Silver Eyes Diary (chapter III and IV)






Chapter III - The Decision

On ancient traditions people use to put coins on the eyes and mouth of the dead person so they could pay Charon the ferryman of the underworld in exchange for a passage across the river Styx from one realm to another.
In similar fashion I left my physical body on the surface of planet Earth as a sign of appreciation for all her support during my visitation.
Perhaps some would say you need courage to journey into the unknown,
I say that when something is complete some decisions are only the natural next step and the occasion will come where that pure ancient voice living inside every human being will speak - IT`S TIME!
The truth is you can always stay one more day, one more month, or even one more year, but in the end you are just repeating what´s already known to the soul and therefore the decision to leave is as natural as the shine of a star.
So I began sailing the Cosmos with my wings outstretched trusting that the love currents of spirit would guide me safely into my destination.
And pretty soon the memories of what´s it like to live as human would become a simple blink of an eye moment... (end chapter III)


Chapter IV - The Void and the Encounter

During what seemed to be several human lifetimes the total blackness was my only company.
I began to contemplate the reasons of Creation and the magic there is in every single aspect of this process. I must recognize Source Creation is the ultimate artist...there´s no words to describe my admiration for the Force that create me and all there´s known and unknown.
Suffice it to say the void wasn´t all that existed in this journey because pretty soon I had my first encounter with an exotic form of existence.
A mix of thick and soft fog I came across,
no words were spoken only sounds and some kind of magic music as vehicle of communication, meaningless to my mind but fascinating to my heart.
I can´t say how many entities were there although I have the impression it was more than one.
Their ways of existence defies human comprehension and in the absence of physical bodies I wonder if they have concepts of Me and You...it was so strange and at the same time so intimately with my world. (end chapter IV)


By: Ricardo Amaral

terça-feira, 21 de abril de 2009

Silver Eyes Diary (chapter I and II)







Introduction

Master Templates are used in the journeys of all entities that incarnate in the fields of agreed realities.
Although there are many variations in the blueprints, the following description will be familiar to every human, eventually...
So let us begin.

Chapter I - Locked Heart

My heart is like a old mansion whose doors and windows have not been open for years.
But now I see a door opening and inside there is a long corridor with dark experiences standing between me and divisions full of freedom.
I stand outside for a long while in order to gain courage to step inside home... I finally did it.
And so the journey begins on a planet called Earth, among a particular human race and in a not so frequent cosmic event. In the dark corridor there´s love stories that never will be, relations that are only shadows of love stories, wounds that will never be completely healed, loneliness that seem to never end, friendships that take separate roads, dreams left behind...
After more than two decades I finally passed through the tunnel and stopped to catch my breath. My body is full of scars and I feel like a old man.
There´s wonderings on my mind about how I´ve reached so far on this journey and for the first time on a long period I feel free in my own house. (end of chapter I)

Chapter II - Light and the Unknown

On the playgrounds of light there´s all I ever desired, the people, situations, expansion of consciousness.. well, everything I dreamed and even more.
I`ve really had the time of my life!!
I suppose eons of time have passed when again I remembered there was something else outside my mansion, so I decided to burn down my own house and ever since that moment I feel the unknown more clear.
What is this destination that my heart contemplate as if it was a compass needle pointing to the north?!
An enigmatic force that is outside the holographic matrix of the mind.
I sense is magnetism but I do not remember the taste of it´s shores.
It´s something outside and at the same time encopasses the holograms of illusion.
I know this place is where I initially came from and where eventually I will return to, so if eons are necessary to recall this nature, so be it.
To one more round in the spiral of Eternity... (end chapter II)


By: Ricardo Amaral

sábado, 18 de abril de 2009

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Ecos do Tempo





Após demasiadas situações indesejadas
afirmei para mim mesmo que estava na altura de mudar.
Vários anos se passaram e por fim comecei a entender
que a realidade da minha experiência não era mais do que
uma simbologia do meu mundo interior.
Á medida que uma nova situação se manifestava,
observei o que me parecia surreal...
Era como se o Universo me apresentasse um eco do meu passado
e me perguntasse - SERÁ QUE REALMENTE MUDASTE,
EIS A OPORTUNIDADE DE PROVARES A TI MESMO ESSA MUDANÇA.
As semelhanças com o passado sonhado mas não realisado
eram por demais evidentes,
mas desta vez o meu comportamento era diferente
e com isso uma nova realidade se formou para o meu Eu,
mais harmoniosa, um reflexo mais verdadeiro do meu recente estado de ser
e momentos de partilha criados
que não mais serão esquecidos.
Perante os ecos do passado,
finalmente compreendi que as circunstâncias não importam,
o que importa é o estado de ser interior
porque aquilo que se manifesta
não é mais do que um eco desta condição.



By: Ricardo Amaral

The Inner World of Stillness





The void of my being calls me to it´s currents
The mind become still and transport me to a new field.
I become the one without name,
the one that simply be in the presence of it´s essence.
The light images emerge on the surface of my own innerworld.
Hidden meaning for the most part,
a few ones become revelations
and many others simply butterflies of the imagination
or perhaps fragments of other realities on distant worlds.
Regardless of meaning, in zero point state everything gains magic
and the logic worlds of man, quickly forgotten...


By: Ricardo Amaral