"Fragments of the Human Soul it´s a symbolic manifestation of the inner treasures of the human being. Is dedicated to every authentic seeker of the total potential of humans. May this sharing be a portal to your own inner self".

From my soul to yours, Ricardo Amaral

"Here in this place leave all the masks of your personality behind...and with every breath you take what remains will surface as the One reality that unites us all".

Blessings to you, Silver Eyes

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

A Visão de Limpeza



Estava a caminhar algures entre o lugar físico do momento e o invisivél do meu mundo interior, quando "acordei" ao ver uma criança fazer bolinhas de sabão com um daqueles brinquedos que pensei não mais serem utilizados nos dias de hoje.
Naquele breve instante, onde a minha infância voltára à superficie com a dança no ar das bolhas de sabão, me apercebi de algo mais importante do que reviver a inocência do estado de criança.
Através do filtro de Homem que me tornára, a minha percepção da dança me transportou para o modo como as relações humanas ocorrem...

Por vezes flutuamos pelo tempo e espaço de forma solitária, imersos na nossa própria bolha de realidade com os nossos sonhos, desejos, receios, ilusões...
Outras vezes, nos fundimos com outras almas e tal como as bolas de sabão que quando se unem criam novas formas, também nós criamos um novo mundo quando partilhamos a beleza dos sonhos interiores com outras almas.

Como tudo está em constante mudança nada permanece igual para sempre e tal como a união das bolhas que a determinada altura termina numa pequena explosão, também nós pessoas partilhamos um pouco dos nossos mundos e depois partimos para destinos diferentes, onde apenas a fragrância aromática das co-criações se prolongam pelo espaço.
E neste processo tocamos outras almas, crescemos, criamos, vivemos histórias, evoluimos enquanto seres espirituias e acabamos por chegar á conclusão que o importante não é o destino mas sim a jornada.

Não deixa de ser um pouco curioso que quando vivemos algo bom desejamos que nunca acabe e quando é algo doloroso pedimos ao Universo para que termine o mais rápido possivél.
A razão porque acho isto curioso, se deve ao facto de que apenas existe Experiência, que ganha definições e adjectivos conforme a perspectiva individual, mas sei que no momento presente do dia-a-dia nem sempre é fácil ver as coisas com clareza.

Há bem pouco tempo atrás, tomei a decisão de concluir a experiência deste blog, mas ao ver a alegria daquela criança no criar bolinhas de sabão, me apercebi que não há motivos para terminar nada, porque nunca devemos abandonar o que nos faz bem pois só assim podemos continuar a dança da vida em alegria.


Ricardo Amaral